Déficit de atenção: pedagoga Maria Rocha fala sobre o transtorno

Observado e diagnosticado com mais frequência na infância, o Transtorno de Déficit de Atenção (TDA/H) causa uma série de complicações tanto no aprendizado em sala de aula quanto na convivência com outras pessoas. Caracterizado pela falta de atenção, desorganização e hiperatividade, o TDA/H acompanha o indivíduo por toda a vida.

Dados da Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA) mostram que 4% da população adulta possuem déficit de atenção e, desse número, 80% dos casos teve início na infância. Para falar sobre esse assunto, a equipe de o Meu Catavento Colorido entrevistou a pedagoga e pós-graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Maria da Glória Rocha. Acompanhe a entrevista!

Meu Catavento Colorido - O que é Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDA/H)?

Maria da Glória Rocha - O Transtorno do Déficit de Atenção é um transtorno neurobiológico que pode vir acompanhado ou não de hiperatividade. Este transtorno aparece durante a infância e pode acompanhar o indivíduo durante o resto da vida.

Meu Catavento Colorido - Quais são os sintomas que caracterizam o individuo que possui este transtorno?

Maria da Glória Rocha é pedagoga
 e pós-graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional
Maria da Glória Rocha - Geralmente os principais sintomas para a identificação do TDA/H são desatenção, desorganização, problemas de relacionamento, impulsividade e hiperatividade. Vale dizer que esses sintomas podem comprometer a vida acadêmica, familiar, social e profissional do indivíduo.

Meu Catavento Colorido - Qual é o profissional apto a diagnosticar TDA/H?
Maria da Glória Rocha - O diagnóstico para TDA/H só pode ser feito com um profissional médico especializado, tais como psiquiatra, neurologista e neuropediatra.

Meu Catavento Colorido - Como a escola pode auxiliar no desempenho do aluno portador de TDA/H?
Maria da Glória Rocha - Antes de qualquer coisa, ao perceber que o aluno possui os sintomas citados acima, se faz necessário encaminhar o estudante para um profissional da área de psicopedagogia clínica. O psicopedagogo encaminhará o aluno para um neurologista, neuropediatra (se for criança) ou psiquiatra. Se o diagnóstico for confirmado pelo médico, o psicopedagogo traçará estratégias pedagógicas adequadas para auxiliar no desempenho do aluno com TDA/H. Geralmente as estratégias mais utilizadas em sala de aula são relacionadas à distribuição de tarefas, estabelecimento de rotinas, criação de regras na sala de aula, ensino de técnicas de estudo, fazer contato visual, elogiar e outras posturas que levem o aluno a perceber que ele é importante.

Meu Catavento Colorido - Qual deve ser a postura dos pais quando o filho ou a filha é diagnosticado com déficit de atenção?
Maria da Glória Rocha - Após o diagnóstico confirmado para o déficit de atenção, a criança deverá ser acompanhada, de preferência, por um neurologista/ neuropediatra e psicopedagogo (terapeuta da aprendizagem), pois na maioria dos casos o tratamento para este transtorno se faz com o uso de medicamentos e só um médico pode receitar. O papel da família no acompanhamento é de fundamental importância. Mas antes de qualquer coisa a família deve estabelecer regras de modo simples e bem específico, de modo a “prender” a atenção da criança.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Quem Comenta!

Faça contato!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Divulgue o Catavento!!!

MEU CATAVENTO COLORIDO

Translate!

Números

MEU CATAVENTO COLORIDO - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL