A cantina de dona Calabresa

Hoje recebemos um lindo presente da Cortez Editora: o livro “A cantina de dona Calabresa”, de autoria de Liana Leão.

Com lindas ilustrações de Márcia Széliga, a obra conta a história de uma velhinha muito simpática que possuía uma cantina na escola e adorava alimentar as crianças com as suas gostosuras. Como o prazer estava em ver todos comendo, ela cobrava baratinho pelos lanches e a criançada que não pode ver doces e salgados aproveitava.

Mas todo mundo sabe que alimentos cheios de doces e gorduras faz mal, não é mesmo?! E criança se preocupa com isso? Para elas, muitas vezes, o que importa mesmo é o sabor, e nada mais saboroso do que uma torta recheada com chocolate ou morango, uma pizza de queijo e presunto e uma boa porção de batatas fritas! Hummmm

Ao contrário de dona Calabresa, dona Clara tinha uma cantina pouco movimentada, onde só tinham alimentos saudáveis: folhas verdes, beterrabas, grãos integrais e frutas. Mas quase ninguém parava lá. Parecia mesmo que esses tipos de alimentos não atraíam a atenção da garotada.
Enquanto os negócios iam muito bem para dona Calabresa, que não parava de vender os salgadinhos industrializados, as frituras e os doces, para dona Clara as coisas estavam muito difíceis e ela teve que fechar a cantina.

Sem dona Clara por perto, dona Calabresa passou a caprichar ainda mais nos saborosos quitutes. Desse jeito, pensava dona Calabresa, as crianças vão ficar viciadas em doces e nunca mais vão gostar de frutas!

Até os professores só compravam as merendas na cantina de dona Calabresa. O ano letivo foi passando e, de repente, já dava para notar que alguma coisa estranha estava acontecendo: as crianças estavam cada vez mais gordas. E não apenas as crianças, mas os professores também! O de Educação Física então, coitado! E até as baratinhas que ficavam na cantina não aguentavam mais andar de tanto comer.

As crianças estavam sempre cansadas, reclamavam que não dormiam bem e estavam pálidas. Alguma coisa tinha que mudar!! Onde estava a autoridade da escola?

E, de repente, lá vem ela: a diretora. Ela vê um enorme bolo e se aproxima do lixo. Será que ela vai jogá-lo na lixeira? Que nada! Ela comeu o bolo todinho!!

Mas a diretora começou a passar mal. Dona Calabresa, com medo, pegou os seus porquinhos cheios de moedinhas e fugiu, enquanto os alunos e professores chamavam um médico para socorrer a diretora.

Quando o médico chegou, logo ele verificou que a diretora estava muito, mas muito doente e explicou que: “Comer direito não é comer muito. Nem ser magra é garantia de que a senhora coma direito. Deve estar comendo tudo errado: muito sal, muito açúcar, não come frutas, não come verduras. Olhe essa cantina: que vergonha para a escola! Onde estão as frutas? É assim que a escola está educando essas crianças para um futuro melhor? Vão ficar obesos e fracos. Não vão conseguir aprender nada direito. Onde estão as vitaminas? As proteínas?”, disse o médico.

E foi assim que resolveram chamar dona Clara de volta. Com muito carinho e dedicação, dona Clara ensinou todos da escola, desde os alunos até os funcionários, professores e a direção a comerem alimentos saudáveis. E a cantina de dona Clara passou a ser muito movimentada.

Aproveite esta dica de leitura para conversar com os pimpolhos sobre a importância de comer alimentos saudáveis na escola e em casa!! Ah, e não deixe de selecionar o lanche das crianças!!

Título: A cantina de dona calabresa
Autora: Liana Leão
Editora: Cortez




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Quem Comenta!

Faça contato!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Divulgue o Catavento!!!

MEU CATAVENTO COLORIDO

Translate!

Números

MEU CATAVENTO COLORIDO - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL