Saúde mental das crianças exige cuidados redobrados na pandemia

 

A psicóloga Marízia Cruz alerta sobre cuidados 


O diretor regional da OMS para a Europa, Hans Henri P. Kluge, em uma coletiva de imprensa respondendo perguntas sobre os efeitos psicológicos da pandemia, disse: "O problema que cada um de nós enfrenta é como gerenciar e reagir à situação estressante que se desenvolve tão rapidamente em nossas vidas e comunidades durante a pandemia. Nossa ansiedade e medos devem ser reconhecidos e não devem ser ignorados, mas melhor compreendidos e abordados."



E, de fato, a pandemia alterou a rotina de adultos e crianças. E isso, logicamente, afeta o físico e, consequentemente, o emocional. Para a psicóloga Marízia Cruz, o mais importante neste contexto é entender que o funcionamento do nosso corpo está diretamente ligado à mente. Se a mente adoece, todo corpo sofre. "As doenças psicossomáticas tem origem na forma como a mente está funcionando. É preciso internalizar que não estamos sós, e que é possível buscar alternativas, com criatividade, para amenizar os efeitos provocados pela pandemia.  É preciso filtrar o que se ouve. Limitar noticiários constantes. É bom se informar, mas cuidando com o tipo e o volume de informações a respeito da Covid-19."



Para Marízia, as crianças precisam de cuidados redobrados nesse período. Ela argumenta que "cabe aos pais, cuidadores, e todos aqueles que convivem com as crianças, buscar entende-las dentro dos seus limites e adentrar no mundo lúdico delas. Brincar, contar histórias, aprender uma música nova, um passo novo de dança, criar um pequeno atelier de artes, preparar juntos uma sobremesa, observar o que elas gostam de fazer e que seja saudável."



Há um excesso de uso de telas neste momento. São aulas online, conversas por videoconferência, além de jogos e televisão. A recomendação da psicóloga é o uso com supervisão e moderação. "Os eletrônicos são excelentes aliados, divertem e aproxima quem está longe, porém, se não houver controle, limites de tempo de uso, poderá afastar quem está perto. É importante o cuidado uns com os outros. Buscar estar sempre juntos, jogando, assistindo a um filme, divertindo-se e reafirmando o amor. Gosto muito de fazer uma analogia entre a vida e o vídeo game. Ambos têm muitas fases. Cada fase vários desafios à serem superados, e, para vencer os desafios, criamos estratégias, recordando das experiências de vitórias nas fases anteriores, que vamos  vencendo, e comemorando."



*Marízia Cruz é psicóloga clínica, graduada em saúde mental e assistência psicossocial.







Nenhum comentário :

Postar um comentário

Quem Comenta!

Faça contato!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Divulgue o Catavento!!!

MEU CATAVENTO COLORIDO

Translate!

Números

MEU CATAVENTO COLORIDO - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL